Segurança no linux

Como sabemos, o sistema linux é bem mais seguro quanto a vírus, trojans e outros malwares que se adquire pela net. Isso se deve a vários motivos e um deles é a necessidade de se colocar a senha root antes de qualquer instalação/desinstalação de aplicativos.

Mas, com segunrança não se deve brincar, principalmente se o sistema está sendo utilizado em instituições como governos, bancos ou lojas de departamentos. Uma forma de se manter uma segurança a mais, seria proceder como se costuma fazer no próprio windows, como criar partições extras. Por exemplo, no Windows, se costuma criar a partição C:\ para programas e aplicativos diversos e a D:\ somente para dados. Caso haja a infecção de algum tipo de malware, formata-se a primeira partição e se reinstala o sistema.

No linux, também se pode fazer tal procedimento. Em computadores desktops, costuma-se simplesmente se colocar a partição /home separada do resto do sistema, como forma de garantia de integridade dos dados pessoais. Caso se cometa algum erro de configuração em que o usuário não consiga reverter, pode-se reinstalar o sistema mantendo a partição /home, que é onde se encontra os dados pessoais.

Uma forma ainda mais segura, ou melhor, mais completa, eu recomendaria instalar o linux conforme a tabela listada abaixo:

Partição
Tipo
Espaço
Pri/Ext
/
2 Gb
kernel e boot
Primária
usr
8-10 Gb
aplicativos
Primária
tmp
2 Gb
temporários de 			internet
Extendida
var
2 Gb
logs do sistema
Extendida
swap
1 Gb
troca
Primária
home
o restante
dados do usr
Extendida

		
Anúncios

Linux Educacional

O Linux Educacional 1.0 é uma distribuição baseada em Debian e traz como interface gráfica o KDE 3.5
e, nesta compilação, além de softwares educacionais, vem com aplicativos de uso geral como
a suíte de escritório BrOffice.org 2.0, software para gravação de CD/DVD k3b 3.5.5, o browser Iceweasel 2.0.0.3 entre outros.

linux educacional

Caso queira saber um pouco mais, acesse:

  1. http://webeduc.mec.gov.br
  2. http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux

No no primeiro link encontramos o portal de conteúdos educacionais do MEC e é nele que se encontra o download do linux educacional, optando pelo box Proinfo.

Como instalar as fontes Truetype no Ubuntu

O pacote Openoffice e seus derivados, como o Broffice, não vem com aquelas fontes que os usuários do M$oft Office estão acostumados. São as fontes Truetype. Aqui ensino como instalá-las no Ubuntu. Como existem diversas maneiras, vamos a cada uma delas:

i) Primeira maneira

Digo que está não é a mais difícil, mas mais trabalhosa…

1. Primeiro instalamos as fontes Truetype:

$ sudo apt-get install msttcorefonts

Este comando instala a maioria delas.

2. Como o comando acima não vem com a instalação das fontes Tahoma, vamos à elas:

$ wget http://download.microsoft.com/download/ie6sp1/finrel/6_sp1/W98NT42KMeXP/PT-BR/IELPKTH.CAB

3. Para descompactar o arquivo baixado, devemos instalar o cabextract, se já não o tiver:

$ sudo apt-get install cabextract

4. Vá ao local onde se baixou o IELPKTH.CAB:

$ cd Desktop

5. Extraímos o ficheiro:

$ cabextract IELPKTH.CAB

6. Copiamos os arquivos .ttf para onde se encontram os outros tipos de letras da M$oft:

$ sudo cp *.ttp /usr/share/fontes/truetype/msttcorefontes

OBS.: Verifique antes, pelo Nautilus, se o caminho acima está correto!

7. Reconstruímos o cache:

$ sudo fc-cache -f -v

Pronto! Agora sim você terá as fontes devidamente instaladas. Agora se você tiver a partição do Windows instalada, você também poderia usar o procedimento abaixo, que seria mais simples e rápido:

ii) Segunda maneira

Esta maneira é para usuários recém-chegados do sistema Windows, que gostam de “facilidades“:

1. Dentro do Windows xp, navegue até a pasta onde se encontram as fontes truetype, que seria na pasta Windows/Fonts.

2. Copie todas elas para um pendrive, por exemplo.

3. Dê boot novamente e entre na sistema linux Ubuntu.

4. Coloque o pendrive e copie as fontes, como root, para a pasta /usr/share/fontes/truetype.

Pronto! Claro que se você não tiver mais o Windows instalado, você pode ir até a casa daquele seu amigo que só usa Windows e software crackeado e copiar estas fontes…

Compilando o kernel no Ubuntu 7.04 AMD 64

Neste tutorial pretendo colocar os passos-a-passos de uma compilação básico do kernel linux no sistema Ubuntu Feisty Fawn para processadores AMD 64.

Compilar o kernel nada mais é que uma atualização do sistema e também uma otimização dele, pois desta forma, podemos adicionar ou retirar módulos que não são utilizados, o que permite dar uma “enxugada” no sistema, tornando-o mais dinâmico, e porque não dizer, mais rápido também.

Então vamos começar!

1. Primeiro mude para usuário root:

$sudo su <enter> → Forneça a senha root

2. Agora vamos instalar os pacotes necessários (verifique antes se você já não os têm instalados, via Synaptic!!)

# apt-get install build-essential kernel-package libncurses-dev

3. Entre no diretório /usr/src:

# cd /usr/src

4. Agora baixe o código do kernel desejado:

# wget -c http://kernel.org/pub/linux/kernel/v2.6/testing/linux-2.6.24-rc8.tar.bz2

5. Após baixado o pacote, descompacte-o:

# tar -jxvf linux-2.6.24-rc8.tar.bz2

6. Mude o nome do diretório:

# mv linux-2.6.24-rc8 linux-source-2.6.24-rc8-ubuntu

7. Entre no diretório criado do código:

# cd linux-source-2.6.24-rc8-ubuntu

8. Copie a versão da config original do seu Ubuntu que está sendo utilizada no kernel atual:

# cp /boot/config-‘uname -r’ ./.config

OBS.: Neste passo, aconselho a ir na pasta /boot/config e verificar o kernel utilizado disponível e colocar no lugar da sintaxe ‘uname -r’.

9. Agora é só abrir o menu de configuração e alterar o que se deseja:

# make menuconfig

10. Feito as alterações no kernel desejadas, devemos agora compilá-lo. Este passo demorou cerca de 1h em meu computador, mas é claro que isto dependerá do processador de cada um.

# make-kpkg –append_to_version -ubuntu –revision 7.04 –us –uc –initrd binary

OBS.: Após o “append_to_version” você pode colocar o teu nome ou qualquer outro string que desejar personalizar ou que facilite a identificação após compilado.

11. Agora devemos sair do diretório e instalá-lo. Serão gerados dois arquivos .deb:

# cd ..

# dpkg -i linux-image-2.6.24-rc8-ubuntu_7.04.deb

# dpkg -i linux-headers-2.6.24-rc8-ubuntu_7.04.deb

12. Ao finalizar a instalação dos pacotes acima, reinicialize o micro:

# shutdown -r now

13. Após a inicialização, verifique o kernel utilizado:

$ uname -r

Fontes:

http://www.xjulio.info/blog/compilando-kernel-2622-rc3-em-poucos-comandos-no-linux-kubuntu-704-feisty http://penguim.wordpress.com/2006/11/14/compilando-o-kernel-no-ubuntu-linux/

Como remover o Openoffice e instalar o Broffice

Muitos usuários de linux encontram dificuldades para se instalar ou desinstalar aplicativos, ou acham os aplicativos freeware inferiores aos M$oft, como o pacote M$Office. Eu digo que uma boa opção free de suíte office é o Open Office que já vem instalado na maioria das distribuições linux. Mas existe uma versão nacional: Broffice, que vem com o português brasileiro, e corretor ortográfico do português das bandas de cá do Atlântico.

Para se instalar o Broffice no Ubuntu 7.04, você precisa primeiro desinstalar o Openoffice:

1. $sudo aptitude purge openoffice.org openoffice.org-core openoffice.org-commom

E aí é só instalar o Broffice:

2. $sudo aptitude install broffice.org

Para este tipo de remoção e instalação, prefiro usar o aptitude, ao invés do apt-get, por ser mais completo neste tipo de atualização.

Algumas referências:

http://planeta.ubuntubrasil.org/post/1113                             http://infog.casoft.info/?cat=5

Como remover completamente um aplicativo

Muitas das vezes instalamos programas que satisfazem as nossas necessidades somente naquele momento, não sendo mais utilizado logo após. Aí ficamos com mais um “peso morto” ocupando espaçao em disco à toa.

O que devemos fazer? Removê-lo, é claro. Mas para isso, se assim houver necessidade, devemos removê-lo completamente, levando consigo suas dependências não mais utilizadas. O comando para isto seria:

$sudo apt-get –purge remove <nome_do_arquivo> Dois traços antes do purge!

O apt-get também pode ser substituído pelo aptitude.

Instalando manpages colorido

Um comando muito útil no linux é o man, que serve como consulta para um determinado comando, ou seja, como se constrói a sintaxe correta de um determinado comando linux. O problema é que este apresenta uma tela com fundo branco, ou preto, dependendo do terminal utilizado. Para se ter uma página de consulta help com um visual melhor, colorido, pode-se instalar o most:

1. $sudo apt-get install most

2. Defina-o com pager padrão:

$update-alternatives –set pager /usr/bin/most

OBS.: Após alternatives há um espaço e depois dois traços seguido do set, sem espaço.

3. Pronto! Agora é só tertar:

$man ls

Fonte:
http://hdoria.archlinux-br.org/blog/2007/10/18/man-pages-coloridas/