Instalação e Configuração Inicial do XFCE

Siga os seguintes passos:

1 – Instalação do Apt-Fast

Primeiramente, devemos instalar o apt-fast. Ele não é obrigatório, no entanto, recomento a todos os utilizadores. Pois ele aumenta a velocidade de download de programas e atualização do Ubuntu. Como vamos realizar diversas instalações, ele com certeza é um grande diferencial para agilizar esta tarefa.

$ sudo add-apt-repository ppa:apt-fast/stable -y && sudo apt-get update
$ sudo apt-get install axel apt-fast

Não se preocupe com as perguntas que aparecerão. Deixe como o padrão, apenas de OK.

2 – Instalação do XFCE

$ sudo apt-fast install xubuntu-desktop

Após a instalação reinicie o computador. Na hora de realizar o login deve-se escolher a Sessão do XFCE.

Imagem

Imagem

Se você notar, existe dois tipos de opção: Sessão do XFCE e Sessão do Xubuntu. Deve-se escolher a primeira. Por que ela é a mais completa, trazendo em si todo o poder do ratinho.

Escolhendo a segunda opção, você terá uma mistura do Ubuntu com o XFCE, clique em OK e depois insira a sua senha.

Assim que o XFCE estiver iniciado, ele lhe mostrará uma caixa de diálogo com uma pegunta. Clique em Usar configuração padrão:

Imagem

Logo após será mostrada a Área de Trabalho:

Imagem

3 – Configurações Iniciais

Agora realizaremos as primeiras configurações do nosso novo ambiente. Para isto, vá no Menu de aplicativos > Configurações > Gerenciador de Configurações.

Imagem

O seguinte programa se abrirá:

Imagem

Clique na primeira opção: Ajustes do Gerenciador de Janelas

Imagem

Vá até a última aba, Compositor. Nela habilite todas as opções, como mostrado abaixo:

Imagem

Você notará imediatamente a mudança na aparência das janelas.

Estas opções habilitam a composição gráfica da tela. Permitindo que programas como o Cairo-Dock possam funcionar corretamente.

Pode ocorrer um certo crash no XFCE. Por isto, reinicie a sessão. Vá no conto superior direito da barra de tarefas e clique no seu nome de usuário, depois em Sair.

Imagem

Desmarque a opção Salvar sessão para próximos inícios e clique em Encerrar sessão.

Imagem

Logo após, faça login novamente na Sessão do XFCE.

Vá novamente até o Gerenciador de Configurações e clique em Aparência.

Imagem

Você notará diversas abas na janela que aparecerá. Mas, neste momento nos preocuparemos com a aba Fontes. Nela marque as opções como abaixo:

Imagem

Estas opções permitem uma melhor Renderização das fontes. Tornando elas mais legíveis e bonitas.

Clique no botão Todas as configurações:

Imagem

Selecione Gerenciador de Janelas:

Imagem

Vá na aba Avançados e desmarque a opção abaixo:

Imagem

Isto fara com que toda janela que encostar nas bordas da tela tem o feito de Grade. Para ver em ação, seleciona uma janela que permita redimensionamento (as janelas de configurações não permitem) e araste ela até as bordas da tela.

Se não notar, não se preocupe. Assim que personalizarmos o XFCE você notará com mais facilidade.

Clique em Todas as configurações. Depois selecione Mídias e Unidades Removíveis e marque as opções abaixo:

Imagem

Elas farão que todo CD, Pendrive ou qualquer outra mídia removível, quando inserida seja automaticamente montada. Ficando prontas para uso.

Por causa disto elas são opções que considero altamente importantes.

Clique no botão Fechar. No Gerenciador de Configurações seleciona a opção Teclado:

Imagem

Vá até a aba Atalhos de aplicativos. Dê dois cliques onde está escrito <Alt>F3:

Imagem

Aparecerá uma janela onde você deverá digitar o comando de teclado que abrirá o Menu do XFCE. Este menu é parecido com o do Unity, onde pode-se pesquisar os programas.

Portanto, tecle a tecla Windows, espere um pouco e largue:

Imagem

No Ubuntu 12.10 existe um bug no XFCE, que faz com que o menu demore alguns segundos para aparecer. Mas existe uma solução. Dê dois cliques onde está escrito xfce4-appfinder:

Imagem

Adicione o o texto –disable-server na frente do comando:

Imagem

Clique em Ok.

Depois dê dois cliques agora no comando xfce4-appfinder –collapsed:

Imagem

Na janela que aparecer, adicione novamente o texto –disable-server na frente do comando:

Imagem

Pronto, para testar clique na tecla Windows e espere alguns segundos. Se tudo ocorreu bem aparecerá a tela abaixo:

Imagem

Digite o nome de qualquer programa na caixa de texto e verá ele aparecer na parte direita da tela:

Imagem

Clique na divisória e araste até o canto esquerdo do programa:

Imagem

Ficando desta forma:

Imagem

Clique em Preferências:

Imagem

Na tela que aparecer marque as opções abaixo:

Imagem

Eu particularmente gosto desta maneira.

Mas que tal personalizar o nosso Dash mais ainda? Marcando a opção Ver itens como ícones, ele ficará assim:

Imagem

No campo Tamanho do ícone de itens você pode alterar o tamanho dos ícones:

Imagem

A configuração que utilizo no meu computador e acho a mais bonita é esta abaixo:

Imagem

Para deixar uma aparência mais agradável, você pode redimensionar a tela do programa:

Imagem

Eu gosto desta maneira, 3 linhas e 5 colunas. Mas você pode deixar do jeito que gostar.

Se aumentar o programa demais e não conseguir diminuir a tela, clique em Preferências e desmarque a opção Ver itens como ícones. Depois diminua a tela do programa até um tamanho razoável, em seguida marque novamente a opção Ver itens como ícones e deixe a tela do tamanho que achar mais agradável.

Se você não souber como se movimentar entre os programas é fácil: digite no campo de busca o nome do programa, depois clique duas vezes na tecla de seta para baixo, logo após utilize as setas para selecionar o programa, em seguida tecle Enter.

Portanto, a partir de agora, toda vez que você teclar a tecla Windows o Dash do XFCE irá aparecer.

E caso tecle ALT+F2 é a tela abaixo que se mostrará:

Imagem

A partir dela é possível executar comando, como por exemplo, iniciar um aplicativo:

Imagem

Pressionando simultaneamente as teclas SHIFT+Seta para baixo é possível abrir o Dash:

Imagem

Volte ao Gerenciador de Configuração e selecione a opção Sessão e Inicialização:

Imagem

Vá até a aba Avançados e deixe todas as opções desmarcadas:

Imagem

Na aba Início automático de aplicativo você deve desmarcar os seguintes programas:

  • Applet Blueman – Somente se não utilizar Bluetooth.
  • Gerenciador Bluetooth – Somente se não utilizar Bluetooth.
  • Gerenciador de energia – Se não estiver usando Notebook.
  • Miniaplicativo de fila de impressão – Caso não utilize impressora.
  • Monitor de cópia de segurança – Se não utilizar o programa de backup Deja Dup.
  • Notificador de atualizações – Não vejo necessidade dele iniciar junto com o computador. Utilize o terminal para procurar e instalar atualizações, ou, através do programa manualmente.
  • Protetor de tela – Programa que considero desnecessário.
  • Ubuntu One – Caso não utilize este programa para armazenamento na nuvem, desmarque.
  • XFCE Volume Daemon – Notificação sobre alteração do volume de som. Não vejo necessidade. Mas caso goste, pode deixar marcado.

Imagem

  • Zeitgeist Datahub – Não há a mínima necessidade deste programa. Ele é um “espião”, grava todos os softwares e sites abertos. Sendo utilizado principalmente no Unity, mas como estamos no XFCE, deixe desmarcado.

Os programas essenciais que não podem ser desmarcados são estes:

Imagem

Agora marque os seguintes programas:

Imagem

Se estas opções não forem marcadas, alguns programas(o navegador Chromium, por exemplo) podem apresentar problemas de compatibilidade com o XFCE.

Pronto, ufa!

Fonte:

http://forum.ubuntued.info/viewtopic.php?f=13&t=3233&b=3#IDontExist

Anúncios

Como instalar a última versão do editor de imagens Pinta no Ubuntu

Se você acha o editor de imagens GIMP ou o Inkscape  complicado demais para você, então experimente instalar o Pinta.

Pinta

O Pinta é um programa gratuito, simplificado e baseado em Paint.NET, concebido para servir como uma alternativa ao GIMP para usuários casuais. Seu objetivo é fornecer aos usuários uma maneira simples e poderosa para desenhar e manipular imagens no Linux, Mac e Windows.

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

O programa está disponível no Ubuntu Software Center, por padrão, mas é um pouco ultrapassado, por isso, para instalar a versão mais recente do editor de imagens Pinta no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:pinta-maintainers/pinta-stable

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update && sudo apt-get install pinta

Este comando irá instalar o Pinta 1.5 via PPA.This will install Pinta 1.5.

Uma vez instalado, você pode iniciar este aplicativo a partir do terminal, digitando:

$ pinta

Simples assim.

Fonte:

http://ubuntuhandbook.org/index.php/2014/02/install-the-latest-pinta-release-in-ubuntu-14-04/

Menu Locais do Ubuntu abrindo VLC?

Bom, há alguns dias que no menu “Locais” do painel do Gnome, ao invés de abrir a pasta respectiva selecionada, abre o mediaplayer, que no meu caso é o VLC.

Descobri como resolver e o problema está no Ubuntu Tweak.

Portanto, abra-o, vá na opção “Gerenciador dos tipos de arquivos” e clique no item “Tudo“. Na imediata coluna da direita, procure por “Pasta“, que ao seu lado deve estar selecionado o “VLC“, e marque o item “Abrir Pasta“.

Feito isso, seus problemas acabaram, eheheh!!!

 

Fonte:

http://jorgeduraes.blogspot.com/2011/01/menu-locais-abre-o-vlc-media-player-e.html

Botão do volume no tray sumiu?

Vamos a mais uma boa dica.

Não lembro como mas, eu me deparei que o ícone do volume sumiu na barra superior de meu Ubuntu 10.04. Devo ter deletado ele sem querer. Como restabelecer ele? Simples:

1. Clique com o botão direito do mouse na barra superior do Gnome e em seguida escolha “Adicionar ao Painel > Miniaplicativo Indicador“.

2. Depois é só mover ele para a posição desejada e travá-lo nesta posição.

Ubuntu 32 bits reconhecendo 4 Gb de RAM

Recentemente me deparei com um problema: um computador com 4 Gb de memória ram, mas o sistema estava reconhecendo apenas 2,9 Gb. O sistema que me refiro é o Ubuntu Studio 9.10 i-386.

Sei que sistemas 64 bits iriam reconhecer nativamente, quando instalado, os 4 Gb, mas, como acompanho as evoluções do GNU/Linux Elive, um Debian com interface Enlightment 17, em sua versão recente 2.0, informa que, embora sendo um kernel 32 bits, reconheceria mais que 3 Gb de memória ram. Aí, é claro que tive que recorrer ao poderoso Google para achar a resposta, eheh!

Então lá vai:

1. Abra o gnome-termnal e digite:

$ sudo apt-get update

Como sabemos, isto é apenas para atualizarmos o cache.

2. Instale os pacotes:

$ sudo apt-get install linux-headers-server linux-image-server linux-server

O que está sendo feito nos comando acima é apenas a instalação do kernel da versão servidor.

Agora é só reiniciar o sistema e verificar quanto de memória ram está sendo utilizada em “Sistema > Administração > Monitor de Sistema“.

Fonte:

http://www.pmabox.com/index.php?option=com_content&view=article&id=29:how-to-get-4gb-of-ram-working-in-ubuntu-32bit-vers

Fazendo o Ubuntu 9.04 reiniciar o X com Ctrl+Alt+Back

O novo Ubuntu, a versão 9.04, codinome Jaunty Jackalopy, nos trouxe várias novidades, como por exemplo o tipo de formatação ext4 entre outras.

Mas também deixou desabilitado (pelo menos por aqui) a capacidade de se reiniciar o X com as teclas Control+Alt+Backspace. É isso que iremos fazer agora: reabilitar esta função.

Para que isto ocorra, devemos editar o arquivo  /etc/X11/xorg.conf que, como sabemos, é o arquivo onde se configura o ambiente gráfico, ou seja, o comumente chamado de “X“. Siga então os passos abaixo:

1. Abra o terminal e digite:

$ sudo gedit /etc/X11/xorg.conf

2. Verifique se já tens a opção abaixo, caso contrário, insira no final do arquivo:

Section “ServerFlags”

Option “DontZap”            “false”

EndSection

3. Agora reinicie o sistema.


Caso queira obter mais informações sobre como configurar o xorg.conf, é só digitar no terminal:

$ man xorg.cof

É isto. 😉

Instalando o RealPlayer 11 no Ubuntu

Sempre que baixamos um filme na internet, esse geralmente encontra-se em formato .rm ou .rmvb, que são os formatos nativos do RealPlayer.

Daí, nós, usuários de linux, instalamos os codec’s multimídia (conforme ensino aqui) e qualquer player de vídeo irá reproduzir perfeitamente o tal filme com a extensão de arquivo supracitada.

Mas acontece que, nem sempre os outros players irão mostrar os vídeos com a mesma qualidade do player original. Daí a necessidade deste post. Vamos então instalar o RealPlayer 11:

1. Primeiro baixe o arquivo instalador aqui:

http://www.fileupyours.com/files/86672/instalar-realplayer.sh

2. Depois, clique com o botão direito do mouse no arquivo baixado, que é de 1Kb e, em “Permissões“, habilite-o para “executável“.

3. Chame o terminal e digite:

$ sudo su –

<senha>

4. No mesmo terminal, agora como root:

# sh instalar-realplayer.sh

5. O instalador irá perguntar se és realmente o “root“. Tecle <ENTER> confirmando. E aí começará o download do aplicativo, que deve ter cerca de 7,5 Mb.

6. Depois que ele baixar, começará as configurações, como por exemplo, onde deverá ser instalado. Por default, ele pede a instalação em /opt, que pode ser confirmado normalmente. Depois siga as demais instruções de instalação, bem parecidas com o sistema Windows, 😉 .